A publicação das cartas do infante D. João - futuro rei D. João VI - para a irmã, D. Mariana Vitória, sendo ainda muito jovens, é a descoberta de um segredo bem guardado. Com a leitura delas o leitor acede à privacidade de uma figura nova e desconhecida do público, habituado a uma imagem nascida da ignorância e deformada pelo preconceito.

É alguém bem diferente a pessoa que as cartas revelam: uma alma generosa e compassiva cujos actos são norteados por valores onde se descortina a obediência a princípios maiores: altruísmo, tolerância e humildade assentes na renúncia e aceitação da vida que se lhe oferece, como sendo regida por algo superior.

Longe de aparentar fragilidade, contudo, D. João afigura-se um homem discreto, resoluto e determinado nos seus juízos, alicerçados na boa-fé de um coração maravilhoso, alguém a quem faltou o tempo e a circunstância para ser feliz.

O livro apresenta o seguinte índice de assuntos:

Apresentação
As cartas e o seu conteúdo
Os duplos consórcios
Se saudades matassem
Notas finais
D.Mariana Vitoria de Bragança - nota biográfica
Cartas do infante D. João (VI) para a irmã
Fontes manuscritas e impressas