A infanta D. Maria Benedita foi princesa da Beira e do Brasil pelo casamento com D. José, herdeiro do trono na linha de sucessão da rainha D. Maria I, o que não se verificou devido à morte prematura do Príncipe. Neta do Rei Magnânimo, que ainda conheceu, Dona Maria Francisca era a quarta e última filha do rei D. José I e da rainha D. Mariana Vitória.

Era tida por muito bela, talvez por causa da sua aparência ao gosto da época: tez branca e rosada, olhos azuis e cabelo claro. Educada esmeradamente, tal como as suas três irmãs – a mais velha das quais a rainha D. Maria I – numa corte particularmente rica e ostensiva, a Princesa foi escolhida para noiva do futuro rei, seu sobrinho, com quem partilhava, segundo testemunhos não desmentidos, uma grande cumplicidade de opiniões, o talento para a leitura e para as artes e uma grande abertura face à modernidade no campo científico. Esteio moral da Família Real edificou, por sua própria iniciativa e à sua custa, o Asilo Militar de Runa. Apresenta-se o seu Testamento: um documento humano que se transforma, se quisermos, num retrato de quem o fez e também num espelho do país quanto aos usos.

v

Índice do livro

Resenha biográfica da Princesa Dona Maria Francisca Benedita
Prólogo
Dona Maria Francisca Benedita
O infante D.Miguel, testamenteiro de Dona Maria Francisca Benedita
Os executores do testamento de Dona Maria Francisca Benedita
Os herdeiros de Dona Maria Francisca Benedita
As jóias de Dona Maria Francisca Benedita
Outros bens de Dona Maria Francisca Benedita
Dona Maria Francisca Benedita e as artes
Dona Maria Francisca Benedita e o príncipe D. José
Os sinais maçónicos da capela de Runa
Autos de execução do testamento e inventário dos bens da princesa Dona Maria Francisca Benedita
Notas
Bibliografia
Índice remissivo