Com o mais fino amor leva-nos aos meandros da corte de D. Maria I, numa viagem onde se tem o privilégio de a seguir na sua privacidade, durante o tempo que vai de 12 de Maio de 1785 a 31 de Dezembro de 1787.

Trata-se de um ensejo raro que as cartas autógrafas da rainha proporcionam, a um ritmo de duas vezes por semana, nas quais ela vai dando conta à filha do seu dia-a-dia que acaba por reflectir também o quotidiano da infanta Mariana Vitória, desde o momento da sua partida para Espanha até aos augúrios de bom 1788, o ano que viria a ser de todos o mais fatídico, para a família real portuguesa.

É um acervo único, por ser tão completo e autógrafo de uma rainha. Rainha que cativa pela discrição, sensibilidade e inteligência, imagem que desfaz o preconceito que tem encandeado a figura maravilhosa de uma mulher que foi monarca de Portugal.

v

Índice de assuntos:

Abertura
Com o mais fino amor
A eterna saudade
Crónica de uma melancolia antiga
A favor de uma medicina natural?
O retrato da infanta Mariana Vitória de Bragança
Cartas da rainha Dona Maria I para a filha
Fontes manuscritas e impressas